quinta-feira, 31 de maio de 2012

Reunião ComiSsão NacionaL de PovoS TradiCionaiS De TerREIrO em Brasilia - HistoriCo da MobilizaÇão estaDual

(Foto) Comissão organização Teia - RS e a comissão que vai dar conta metodologia, mobilização e a promoção da Oficina estadual para elaboração de Politicas Pública para Cultura para Povo tradiocinias de Terreiros

Ficamos muito feliz a cidade de São Leopoldo ser a primeira cidade a sediar e o primeiro estado Rio Grande do Sul promover a realização e a efetivação da oficina e as suas premissas tiradas na carta do Maranhão - Oficina Nacional de Elaboração de Politicas Pública para a Cultura para Povos de Terreiros realizada no estado do Maranhão. Foi puxando a respeito dos encaminhamentos, cronogramas e o documentos do encontro e maiores informações pela representação do colegiado de culturas populares - SEDAC  e foi pedido a nos do Pontão de Cultura São Leopoldo agendar uma reunião junto a representação do ministerio da cultura regional sul, abriu se um dialogo sobre importância de se realizar no estado, uma fala bem boa da representação do Minc está oficina. Saimos da reunião com está tarefa e como proposta de ser no Teia - RS, caiu como uma luva coube em todas as premissas da atividade como conceituais, orçamentarias e politicas em um momento tão digno para com o desenvolvimento cultural do estado, com os anuncios e lançamento de varios editais na area da cultura.  
   André de Jesus Coordenador do Pontão de Cultura São Leopoldo "E realmente fundamental termos estrategias na area da cultura para os Povo de Terreiros, depois de pesquisas, mapeamentos, eleborados por municipios, estados e pelo governo federal, exp Mapeado Axé. O que nos invidencia e nos mostra, nos informar a parcial situação de uma vasta população de brasileiros. Que ainda se encontram na marginalizadade e excluidos das iniciativas e das politicas públicas. 
    Assim pouco a pouco vai mudando com a sencibilidade de gestores, ativistas, artistas e politicos, saindo da invisibilidade e obtendo apoio e respeito seus cultos, maneiras de viver, de cultuar  os seus orixas e santos, mantendo viva a sua propria maneira social, preservando e mantendo as tradições e a resistência cultural e religiosa.
Hoje o cenario muda um pouco para melhor apartir da compreenção do presidente Lula em criar uma Secretaria excluciva para os negros e negras (SEPIR) aonde se cria um departamento para se discutir a real situação dos povos tradicionais terreiras e terreiros. Ai vai sencibilizar varios ministerio como Ministerio desenvolvimento social, da Cultura, do Meio ambiente, Ministerio da Reforma Agraria, para que desenvolvam politicas pública que incluam estas populaçõe.
 Tem muito ainda para  se avanças em favor das comunidades tradicionais de Terreiro, mas os estados e os municipíuos também estão precupados com está populações, eleborando atravez de editais e iniciativas como exemplo a prefeitura de São Leopoldo - RS que apartir do edital CineMais Cultura - Minc com Terreiro do Bairro Feitoria Casa de Umbanda Cacique da Lua e Oxum das Cachoeiras.
No qual vai poder gestar "Cinema e Comunitário".
        A firmando as premissas da Cidadania Cultural, Diversidade Cultural, e afirmando a posição de catalizador, aglutinador das diversidades que os Terreiros tem no Brasil e já vem desenvolvendo diferentes iniciativas sociais comuinitarias.
Em diferentes areas o que nos mostra algumas das pesquisas feito pelos governo federal ação; saúde, alimentar, cultura, geração de renda e educação popular são inumeras atividades que são desenvolvida em terreirtos hoje no brasil.
Que independente do estado brasileiro, os terreiros ou terreiras ja vem executando historicamente, deliberadamente, promovendo e  trabalhando com as populações como público prioritario, os mais pobres.
(Foto) Representante do colegiado de Culturas Populares - RS, das Comunidade Tradicional de Terreiros Pontão de Cultura de São Leopoldo, Regional Sul Ministerio da Cultura

Divulgação do encontro da Comissão Nacional de Povos Tradicionais de Terreiros em Brasilia para pensar nas efetivações das deliberação da Oficina do Maranhão.

A Comissão Nacional dos Povos e Comunidades de Terreiro , formada por membros da sociedade civil e do Ministério da Cultura (Secretaria de Cidadania Cultural, Fundação Cultural Palmares e Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), esteve reunida no Ministério da Cultura/ Secretaria de Cidadania Cultural, em Brasília, nos dia 29 e 30 de maio.
O encontro discutiu as metas e ações aprovadas durante a I Oficina Para Elaboração de Políticas Públicas de Cultura para Povos Tradicionais de Terreiro, realizada pelo Ministério da Cultura, por meio da SCC,dos dias 27 a 30 de novembro de 2011, em São Luis(MA).
A I Oficina voltada para as comunidades de povos de terreiro  teve como objetivo subsidiar a construção de políticas culturais para o segmento, com vistas à proteção, promoção e consolidação de suas tradições, reconhecendo seus ritos, mitologias, simbologias e expressões artístico-culturais.
A Oficina foi realizada numa parceria da SCC/MinC, da Fundação Cultural Palmares (Palmares), do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) e da Comissão Nacional de Povos de Terreiros. O evento também contou com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura do Maranhão (SECMA), da Secretaria da Igualdade Racial do Maranhão (SEIR/MA)  e da Prefeitura de São Luis (FUNCMA).

Durante a Oficina, que reuniu cerca de 200 participantes na capital do Maranhão, foram aprovadas nove propostas distribuídas entre 5 eixos temáticos (Patrimônio Cultural e Direitos; Fomento em Sustentabilidade; Direitos Civis e Culturais; Cultura e Comunicação; e Cultura, Saúde e Meio Ambiente). Dentre as propostas aprovadas na I Ofic ina estão a implementação de um Cadastro das Instituições de Terreiro; a realização de mapeamentos e identificação dos terreiros existentes; e a elaboração de uma Política Nacional para terreiros, que contemple a criação de editais, em âmbito nacional, que garanta a execução de instrumentos e inventários  e salvaguarda, a curto, médio e longo prazos, voltados à preservação cultural material e imaterial dos povos de terreiro.
Pontão de Cultura
De acordo com a secretária de Cidadania Cultural do MinC, Márcia Rollemberg, que participou do encontro na tarde de hoje (30 de maio), uma das ações que poderiam ser implementadas, no âmbito do Programa Cultura Viva, seria a criação de um Pontão de Cultura voltado para as comunidades tradicionais, incluindo os
povos de terreiro. “Esse pontão incentivaria a pesquisa, e contribuiria com a formulação e a articulação de políticas públicas, o fortalecimento institucional das comunidades e a discussão do próprio (Programa) Cultura Viva para as comunidades tradicionais”, explicou a secretária, acrescentando que é importante identificar, entre os 3.703 pontos de cultura existentes hoje em todo o país, quais os que desenvolvem ações voltadas para as comunidades de povos de terreiro.
Para Márcia Rolemberg a aproximação com o segmento, que começou durante a II Conferência Nacional de Cultura, realizada em Brasilia em 2010, aconteceu num momento favorável, tendo em vista a aprovação do Plano Nacional de Cultura, o Redesenho do Programa Cultura Viva e a renovação do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) neste ano. “Precisamos trabalhar as metas do PNC  que tenha interface com as comunidades tradicionais, além de buscar parcerias internamente, no âmbito do próprio MinC, e externamente como o Ministério da Educação, a Secretaria de Políticas para a Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República, e os Ministérios do Desenvolvimento Social e do Meio Ambiente”, defendeu a secretária.
Aderbal Ashogun, pai de santo do Rio de Janeiro e integrante das Comissões Nacional de Pontos de Cultura e dos Povos de Terreiro, acredita que uma das primeiras ações a serem adotadas pelo segmento e pelos integrantes da comissão é a de criar uma rede virtual de comunicação para facilitar a articulação entre as comunidades e os parceiros.
Para Jô Brandão, coordenadora de Povos e Comunidades Tradicionais da SCC/MinC, o importante agora é trabalhar para que se concretize as metas aprovadas na I Oficina. “Temos que levar para os estados e municípios essa discussão para crescermos em parceria e na efetivação das metas”. Para Jô Brandão uma outra ação importante é a criação de um Grupo de Trabalho interministerial para discutir ações conjuntas voltadas aos povos de terreiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário